quinta-feira, 3 de julho de 2008

E eu nunca sei porque continuo insistindo nessas manias de querer me comunicar com alguém que não fica presente, que nunca sabe como me sinto ou das situações que tomam conta dos meus pensamentos. Ele não sabe, nada, nem metade do que me faz sorrir todos os dias e mesmo assim, mesmo sabendo o quanto essa situação é inútil, eu escrevo pensando nele. E isso é patético, porque uma semana atrás nada me motivava mais do que um vazio e pronto, basta qualquer indício seu para que isso me quebre.
Sei que nada mais te atinge e de repente isso me faz mal, porque eu escrevo inevitavelmente pra sua ausência, acredite, isso é frustante.

Camila Meneghetti

4 comentários:

Tay disse...

incrivel, axei teu blog por acaso, e sempre q venho aki, me identifico com td q escreves! seja citações, ou posts de tua autoria. pnesei q eu fosse a unica q vivesse na esperança de ainda ter um algm q foi importante p mim. sei lá,mas, me identifico mtoo com td isso aki! e hj, qd li esse ultimo post q acaba refletindo como me sinto agora tive q comentar! =)
acredite,como eu: td um dia passa. há de passar.
=*

Jessica disse...

O texto da Martha é lindo, né?
Eu tbm não sei o motivo pelo qual continuo escrevendo. Mas continuo...
Beijo, já te falei que adoro a tua combinação de foto e frases? adoro muito!

Marco Alan May disse...

Oi Camila, tudo bem?
Fiz um blog inspirado no seu, adorei seus textos.
Mas na verdade meu acaba sendo um opositor ao seu hehehe
adiciona aih como link, tb adicionei seu..
bjo.

http://alpha-mais.blogspot.com

Fernando disse...

O presente é relativo. Melhor um presente no seu coração e ausente em fisíco, a um presente ao vivo e ausente no coração.