quinta-feira, 15 de maio de 2008

E consegui ser mais digna de pena hoje, quando eu percebi que não era, que o garoto que eu tentava em vão conquistar não era nada incrível, não tinha nada meu, enfim, um qualquer que um dia, ou se já não é, vai ser importante para alguém. Você tem o poder de me fazer querer enxergar a pessoa do jeito que ela deve ser para mim, não sei se me entendem, mas do jeito que eu sempre quis. Acho que foi o único que tentou me entender e no fim voltou para me ver quietinha no meu canto, você sempre soube, desde o dia que nos conhecemos, desde o dia que conheceu meu outro lado, sempre soube que eu ia quebrar a cara e agora sabe mais do que nunca que isso é um ciclo vicioso para mim. E dói, dói tanto. Machuca porque de todos que encontrei, nós tínhamos aquele ponto onde nos tornavámos diferentes de todos os casais, era algo impossível e ao mesmo tempo evidente de dar certo. Eu sou uma contradição, nós fomos algo novo e no fim, no fim, sempre acabo assim : sentada, com um café, uma lembrança bonitinha, um céu estrelado e a saudade em algum canto do mundo. Seja saudade do bairro ao lado desde o desconhecido amor de uma outra vida. Não nasci para acreditar nas verdades alheias e nem me iludo com as quais invento.


Camila Meneghetti

Um comentário:

kinha disse...

Inconsciência coletiva? Texto expressando mais ou menos o que eu escrevi no meu, no mesmo dia, hahaha. Tá bonito :)