quarta-feira, 11 de junho de 2008














É aquela antiga necessidade de revistar todas as folhas para encontrar qualquer vestígio, mesmo que esses não signifiquem mais nada, apenas lembranças boas, mas que preenchem aquele vazio. Há tantos pensamentos secretos, tantas intenções guardadas. Sempre fico imaginando quantas pessoas naquele mesmo ônibus sofrem os amores nunca realizados, aqueles que a gente fica construindo enquanto não desce no ponto, aqueles que nos fazem acreditar que pode existir mais um, mas algo real.

Camila Meneghetti

2 comentários:

kinha disse...

Que foto bonita, é sua? Ultimamente ando tão distraída, ou com os fones que não presto atenção no ônibus. E sempre acontece alguma coisa bizarra no meio do caminho, tipo alguém passar mal, ou um velhinho derrubar laranjas até o fundo... hahaha. E menos poético que o seu texto, mas engraçado: já parou pra pensar pq as pessoas estão no médico enquanto vc tá na sala de espera?

Michel disse...

Se nao tivessemos tantos pensamentos secretos, intencoes guardadas, se nao sonhassemos acordados, nao teriamos nenhum objetivo na vida...

O importante eh nao ter medo de construir sonhos e ter paciencia para ve-los concretizados.