domingo, 29 de junho de 2008

Eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você, eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende? Dolorido-colorido.

Caio Fernando Abreu

2 comentários:

Anônimo disse...

"Hoje me peguei pensando em você. È incrível como tem gente que marca mesmo, marca tanto a ponto de pensar que a ti pertence."

Jessica disse...

Essa frase é bem o que ando pensando nos ultimos dias...
Beijinho!